quinta-feira, 31 de março de 2011

Puro simulacro.




Vem , chega mais perto. Me arranha, se encosta em mim. Me consome e depois some do mapa como de costume. Assim é agora e foi todo o sempre. Na ilusão do que é hoje ou do que era ontem, sem previsão de tempo ou conjugação de palavra você vem e me gasta cada vez mais, até não sobrar nada, até que não reste qualquer caco de mim que te corte e te cause algo, te provoque espasmos e te faça sangrar.

Eu ainda espero em silêncio. Resposta de pedra, feito aquelas que você jogava na minha janela tentando me fazer acordar. Quebrando alguns vidros, estilhaçando todos os elos, gritando meu nome bem alto, me dizendo qualquer bobagem nunca dita.
Tome, leve essa dor com você. Nada mais me faz enganar, nem esses seus olhos rasos de promessa, porque eu sei que não se demora, cê vem e me atiça, provoca uma sede que nunca finda e me faz querer chorar aquele choro preso louco pra querer sair e te buscar onde estiveres, interrompido de soluços, ininterrupto de saudade.
Não me venha com essa. Não gaste todas as mentiras antes do jogo acabar, guarde-as no bolso, ouça o que eu digo. Retire esse pó , bata os pés antes de entrar em mim. Eu finjo algum ronco, de olhos cerrados pra não te ver sair. Nada mais dá pé pra nós, fim da linha. Vai, apaga essa luz antes de ir mas não deixe que o vento tranque todas as portas. 
Não perca mais tempo menina, não me faça ferida. Vai logo te embora.

30 comentários:

  1. Quando a gente começa a se machucar é o pior momento do amor. E você descreve isso sutilmente.

    Beijo grande, Gio linda.

    ResponderExcluir
  2. Gostei muito de suas palavras.

    beijos ;)

    ResponderExcluir
  3. Nossa realmente me identifiquei com esse post.Isso esta acontecendo comigo,e realmente não tenho mais forças,essa dor esta cada vez aumentando. Seguindo aqui. Beeeeijos

    ResponderExcluir
  4. Eu me vi tanto nesse texto.
    Mas não sei se vale a pena ir embora,o meu eu não deixei ir, e tá tudo muito bem hoje.

    ResponderExcluir
  5. Lindíssimo... lembrei de caio fernando( que seja doce).

    aaaaaaaaaaaah imagem é incrível não contive os meus impulsos e roubei-a! eheh

    bj flor

    ResponderExcluir
  6. Um grito desesperado!

    Fascinante.

    Otiimo fds ;)

    ResponderExcluir
  7. É desesperador quando se ama desse jeito.
    Adorei muito.
    Beijos, estou seguindo seu blog.

    ResponderExcluir
  8. Deixe ele levar a dor.... suma também.

    ResponderExcluir
  9. nossa me arrepiou, tudo tão lindo nesse blog!

    ResponderExcluir
  10. 'na ilusão do que é hoje ou do que era ontem...' vivemos em simulacros de saudades

    ResponderExcluir
  11. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  12. Mas eles , os amores , sempre voltam e deixam a sensação de que nunca foram .
    Adorei ! Amo teu cantinho .
    Beijos doces e apimentados querida .

    ResponderExcluir
  13. Se está trazendo mais dor do que outra coisa, quando a pessoa for, tranque bem a porta. Sem voltas desta vez!

    Beijos

    ResponderExcluir
  14. A menina da foto é tão linda! Seu texto me lembrou o meu ex-atual relacionamento. Legal seria se a gente os deixasse ir embora, sem a esperança de que voltariam um dia. Beijos!

    ResponderExcluir
  15. A ferida cicatrizou?
    Suas palavras me marcaram...
    beijos azuis.

    ResponderExcluir
  16. Posso dizer? eu me vi no seu texto. me vi há um ano atrás. machucada. sem ânimo...e muito triste...Coisas da vida. Um dia a gente se ergue. ..

    ResponderExcluir
  17. tuas palavras conduzem...

    a vida nos arranha,
    fere os joelhos em cada tropeço, é verdade.
    sem escolhas, só temos a condição de nos erguer, por mais que calejados.
    aprender a "cautela" é um dos grandes ensinamentos da vida.
    às vezes é desviando um caminho que se consegue (encontrar-se).

    ps: gostei muito daqui.

    ResponderExcluir
  18. portas e janelas deveriam está sempre fechadas, sem metáforas, por questão de segurança

    ResponderExcluir
  19. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  20. gio, viajo muito pelos blogs que a vida me faz esbarrar e realmente, é muito difícil encontrar alguém daqui de belém.
    quando vi esse seu espaço, a primeira coisa que me chamou atenção foi a imagem insinuante desse post. (o ser humano é muito visual-à priori- né?), depois que fui acompanhando as tuas linhas.... nouss!
    achei muito singular a maneira que expõe os teus pensamentos, a brincadeira com as palavras...
    és totalmente sinestésica, flor.
    sentes por todas as partes do corpo.


    enfim, vim aqui retribuir a sua passagem pelo meu tímido blog e dizer que estarei sempre por aqui, já era! rs.

    beijos cacheados. *--*

    ResponderExcluir
  21. "Resposta de pedra, feito aquelas que você jogava na minha janela tentando me fazer acordar."
    Eu sempre fico boba com as tuas expressões criativas *.*

    ResponderExcluir
  22. Potente. Muito bom. Gostei demais.

    Da maneira como usa as palavras. Da liberdade de se deixar levar pelos sons. E ir transformando a narrativa nesse enrosco de contato e ruído.

    Estou linkando seu blog. É bom registrar quando a gente encontra algo realmente bom por aí.

    Apareça lá onde eu invento o amor ou coisa que o valha. Adorarei uma visita sua:

    http://amorescronicos.blogspot.com

    Um beijo! E até.

    ResponderExcluir
  23. Que lindo o seu cantinhoo..
    adorei aqui!!

    estou seguindo..
    retribui??

    beijios
    http://pathyoliver.blogspot.com
    http://momentosdapathy.blogspot.com

    ResponderExcluir
  24. Você escreve muiiiitooo!!!!!!!



    que saudades desse lugar xD


    te amo gio

    ResponderExcluir
  25. prémio para ti no meu blog * (vê em referências)

    ResponderExcluir
  26. Li e li de novo. É tão difícil e complicado quando o amor se mistura com a dor, não queres sofrer, mas também não queres perder o teu amor, você quer que ele vá para parar de sofrer, mas sempre espera que ele volte, pois quando ele está longe você só lembra dos bons momentos e a saudade é grande e começa até pensar que a falta dói mais, ou até pensar que gostava daquele sofrimento. Acho que amor não é tão bom quando não tem aquela pitada de dor, mas há um limite, afinal amor deveria ser aquilo que te faz esquecer os problemas, não ser só mais um deles. Enfim,
    gosto tanto do modo como você usa as palavras. Sério, parabéns.

    ResponderExcluir